Flipped learning: o modo Harvard de aprender

Todos os dias, milhares de professores ministram exatamente a mesma lição em sala de aula para milhões de alunos. Todas as noites, milhões de estudantes ficam quebrando a cabeça com suas lições de casa, tentando descobrir como resolvê-las.

 

Tradicionalmente, os alunos ouvem palestras e fazem testes em sala de aula, lêem livros didáticos e trabalham em conjuntos de problemas em casa. No ensino flip (flipped learning), os alunos estudam o tópico por si só, geralmente usando vídeo aulas no YouTube e depois aplicam o conhecimento resolvendo problemas e realizando trabalhos práticos em sala de aula.

 

As escolas modernas que mudaram sua abordagem relatam muitos benefícios:

  1. Permite que todos os alunos aprendam no seu próprio ritmo, pois os vídeos podem ser assistidos quantas vezes quiserem.
  2. É mais eficiente, à medida que os alunos entram na sala de aula preparados para contribuir.
  3. Enriquece a lição, pois mais tempo pode ser gasto em projetos e trabalhos em grupo.
  4. Fazer a lição de casa na sala de aula permite que os alunos se ajudem, o que beneficia tanto os alunos avançados quanto os menos avançados.

 

 

Já assistiu “How to get away with murder“? Se sim, você já viu como funciona essa técnica: o material é apresentado / informado / enviado antes, os alunos se preparam e chegam quase prontos pra aula, seja para responder as perguntas da professora ou para questionar também. Um aprende com os erros e acertos dos demais e aprendem até na prática.

 

 

 

Aqui na PLCC Idiomas®, desde a primeira conversa com os nossos alunos, a gente estimula a aprender dessa forma. Por isso criamos uma plataforma só para a prática de gramática, com vídeo-aulas, exemplos, explicações, exercícios, músicas e testes. O aluno traz pra aula apenas as dúvidas que tem quanto ao assunto. Assim, as aulas podem ser focadas em conversação, pronúncia, simulações, aumento do vocabulário, performance do assunto que o aluno se preparou. Ganha tempo e o seu desempenho é muito maior!

 

A gente também dá o poder de escolha ao aluno: “qual é o item que você está interessado em aprender?”.

Eu faço uma comparação simples: você vai ao salão de beleza/barbearia e, na maioria das vezes, pede por um serviço específico. Um corte que já usou antes ou que viu em algum lugar. E espera sair dali com o seu pedido atendido. Os profissionais também esperam entregar exatamente o que lhe foi orientado. Então, por que quando contratamos aulas, não temos a mesma atitude? Fomos condicionados, desde muito cedo, a comparecer à aula e receber informação, quase que “jorrada”; a sermos totalmente passivos. Ou a seguir um certo sumário. Resultado: ao longo da vida, não usamos metade do que nos foi passado, já que a maior parte, tampouco aprendemos…

 

 

Flipped Learning: Que tal ligarmos o modo “aprendizado ativo”?

Surpreenda seu professor. Faça-o inclusive com que ele saia da sua zona de conforto, ao apenas apresentar o que ele está acostumado ou o que preparou, fazendo perguntas sobre o que VOCÊ quer aprender. A lição de casa, ao final, caberá ao professor: te enviar materiais a respeito do assunto e a preparar uma próxima aula “nos seus moldes” 😉

 

Loucura é querer resultados diferentes fazendo tudo exatamente igual – Albert Einstein

 

 

Referência:

1 de maio de 2020

0 responses on "Flipped learning: o modo Harvard de aprender"

Leave a Message

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *